Embriologia do Sistema Digestório


Intestino Primitivo
16/06/2009, 22:41
Filed under: Uncategorized

O intestino primitivo forma-se durante a 4ª semana, quando as pregas cefálica, caudal e laterais incorporam a porção dorsal do saco vitelino no embrião.

O tubo digestivo esta fechado na sua extremidade cranial pela membrana bucofaríngea e na sua extremidade caudal pela membrana cloacal no início da quarta semana. Posteriormente, as membranas bucofaríngea e cloacal se rompem e estabelecem a comunicação do tubo digestivo com o exterior do embrião.

O tubo digestivo é revestido na sua maior porção pelo endoderma, exceto nas suas extremidades – a cavidade bucal primitiva e a cavidade anal – que são revestidas por ectoderma. O epitélio das extremidades cranial e caudal é derivado do ectoderma do estomodeu e do proctodeu, respectivamente. O endoderma do intestino primitivo origina a maior parte do epitélio e das glândulas do trato digestório. O endoderma especifica informações temporais e posicionais essenciais para o desenvolvimento do intestino. Os tecidos muscular, conjuntivo e as outras camadas da parede do trato digestivo são derivados do mesênquima esplâcnico que circunda o intestino primitivo.

Ele divide-se em: intestino anterior, intestino médio e intestino posterior.

intestino primitivo



Intestino Anterior
16/06/2009, 22:37
Filed under: Uncategorized

Os derivados do intestino anterior são:

  • Faringe primitiva e seus derivados;
  • Sistema respiratório inferior;
  • Esôfago e estômago;
  • Duodeno, proximal à abertura do ducto biliar;
  • Fígado, aparelho biliar e pâncreas

Suprimento sanguíneo:

Todos esses derivados do intestino anterior, exceto a faringe, o trato respiratório inferior e maior parte do estômago, são vascularizados pelo tronco celíaco formado por ramos da artéria celíaca.



Desenvolvimento do Esôfago
16/06/2009, 22:35
Filed under: Uncategorized

O esôfago se desenvolve a partir do intestino anterior imediatamente caudal à faringe.A separação da traquéia do esôfago se dá pela septo traqueoesofágico.

Inicialmente o esôfago é curto, mas ele se alonga rapidamente, graças principalmente, ao crescimento e à descida do coração e dos pulmões. O esôfago alcança seu comprimento final relativo durante a sétima semana. Seu epitélio e sua suas glândulas são derivados do endoderma. O epitélio prolifera e oblitera, parcial ou completamente, a luz; entretanto a recanalização do esôfago normalmente ocorre no final do período embrionário.

O terço superior do esôfago é circundado por músculo estriado derivado do mesênquima dos arcos faríngeos caudais. O terço inferior é circundado por músculo liso que se desenvolve a partir do mesênquima esplâncnico circunjacente. Ambos os tipos de músculos são inervados por ramos do nervo vago que suprem os arcos faríngeos caudais.

desenvolvimento do esofago



Desenvolvimento do Estômago
16/06/2009, 22:33
Filed under: Uncategorized

   A porção final do intestino anterior é inicialmente uma estrutura tubular em torno da metade da quarta semana. Iinicialmente aparece como um alargamento fusiforme da porção caudal do intestino anterior e está orientado no plano mediano. Esse primórdio logo se expande e se amplia dorsoventralmente. Durante as próximas duas semanas, a face dorsal do estômago cresce mais rapidamente do que a sua face ventral, isso leva à formação da curvatura do estômago.

desenvolvimento do estomago



Rotação do Estômago
16/06/2009, 22:31
Filed under: Uncategorized

   À medida que o estômago se desenvolve, ele roda, vagarosamente, 90º graus no sentido horário, em torno do seu eixo longitudinal.

   Os efeitos da rotação:

  • A face ventral (pequena curvatura) se desloca para a direita, e a dorsal (grande curvatura), para a esquerda.
  • O lado esquerdo original se torna a superfície ventral, e o direito se torna a superfície dorsal.
  • Antes da rotação as extremidades cranial e caudal do estômago estão no plano médio. Com a rotação, a região cranial se move para a esquerda e ligeiramente para baixo, enquanto que a região caudal se move para a direita e para cima.
  • Após a rotação, o estômago assume a posição final, com seu eixo maior quase transversal ao eixo maior do corpo. A rotação do estômago explica porque o nervo vago esquerdo inerva a sua parede anterior e o nervo vago direito inerva a sua parede posterior.

rotacao do estomago



Desenvolvimento do Duodeno
16/06/2009, 22:29
Filed under: Uncategorized

Desenvolve-se a partir da porção caudal do intestino anterior, da porção cranial do intestino médio e do mesênquima esplâncnico associado ao endoderma dessas porções do intestino primitivo. A junção das duas porções do duodeno se dá após a origem do ducto biliar.

Vascularização: ramos das artérias céliaca e mesentérica superior.

Durante a quinta e a sexta semanas a luz do duodeno se torna progressivamente menor e é, temporariamente, obliterada pela proliferação de células epiteliais. Volta a se recanalizar no final do período embrionário.

desenvolvimento do duodeno



Desenvolvimento do Fígado e do Aparelho Biliar
16/06/2009, 22:26
Filed under: Uncategorized

O fígado, a vesícula biliar e as vias biliares originam-se do divertículo hepático da porção caudal do intestino anterior no início da quarta semana.

O divertículo hepático expande-se para o septo transverso, cresce rapidamente e forma duas porções:

  • A porção maior, cranial, dá origem ao primórdio do fígado.
  • A pequena porção caudal origina a vesícula biliar.

O pedículo do divertículo forma o ducto cístico.

O septo transverso é uma massa de mesoderma esplâncnico situado entre o coração e o intestino médio. Ele forma o mesentério ventral nessa região.

Células endodérmicas se proliferam e originam cordões entrelaçados de células hepáticas e células epiteliais de revestimento de ductos biliares e intra-hepáticos, os cordões hepáticos, primórdios dos sinusóides hepáticos.

O fígado apresenta crescimento rápido da quinta a décima semana.Ocupando uma grande porção da cavidade abdominal superior. A quantidade de sangue oxigenado que chega ao fígado pela veia umbilical determina o seu desenvolvimento e a sua segmentação funcional. Inicialmente, os lobos d ireito e esquerdo são aproximadamente do mesmo tamanho, porém o direito logo se torna maior.

A hematopoese se inicia durante a sexta semana e confere ao fígado aspecto vermelho-brilhante. Na nona semana o fígado é responsável por 10% do peso total do feto. A formação de bile pelas células hepáticas começa durante a 12ª semana.

No início do desenvolvimento das vias biliares extra-hepaticas são ocluídas por células epiteliais, mas depois ocorrerá recanalização devido à vacuolização resultante da degeneração dessas células. O pedículo que liga os ductos hepático e cístico ao duodeno torna-se o ducto biliar. A entrada de bile no duodeno através do ducto biliar, após a 13ª semana, dá uma cor verde-escura ao mecônio (conteúdo intestinal).

Desenvolvimento do figado e da vesi




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.